homem-transpirando.JPGTranspiração excessiva, suor excessivo ou hiperidrose. Saiba mais sobre esse problema que incomoda muita gente!

HIPERIDROSE
O que é hiperidrose?
Quando ocorre aumento da atividade das glândulas sudoríparas (glândulas que produzem o suor) temos o quadro conhecido como hiperidrose. Ou seja, a hiperidrose também é conhecida como quadro de suor excessivo.

Quais são as causas da hiperidrose?
A hiperidrose não é uma doença grave quanto ao risco de vida, mas trata-se de situação extremamente desconfortável, que causa profundo embaraço social e transtornos de relacionamento e psicológicos no portador que freqüentemente se isola socialmente e adquire hábitos procurando esconder o seu problema. A hiperidrose pode ocorrer em pessoas com alguma doença da tiróide, doenças psiquiátricas, menopausa ou obesidade. Pode ocorrer também em pacientes saudáveis.

Quando se inicia o quadro de hiperidrose?
O início dos sintomas pode ocorrer na infância, na adolescência ou somente na idade adulta, por razões desconhecidas. Eventualmente poderemos encontrar outras pessoas da mesma família com problema de hiperidrose.

Como a hiperidrose pode se manifestar?
As áreas mais atingidas são as axilas, palmas (mãos), plantas (pés), região inguinal (virilha), podendo ocorrer em outras áreas. A sudorese excessiva e constante é uma condição constrangedora, desagradável, que dificulta as atividades do dia-a-dia e interfere no trabalho, no lazer e nas atividades sociais. Atividades diárias como escrever, apertar a mão de outra pessoa, segurar papéis, e outras atitudes simples podem ser adversamente afetada pela hiperidrose. Quando a sudorese é mais intensa na região axilar, pode ocorrer odor desagradável. Pode ocorrer uma situação clínica onde existe sudorese excessiva, principalmente nas palmas (hiperidrose palmar) mãos e nas plantas (hiperidrose plantar). O portador da doença tem as mãos sempre molhadas, podendo chegar a pingar suor e tem as plantas molhadas, situação extremamente desconfortável, que pode impedir o uso de meia comum e facilitar o aparecimento de fissuras.

Quais são os tratamentos disponíveis para a hiperidrose?
O tratamento pode ser feito com medicações de uso local que visam diminuir a secreção sudorípara ou através da utilização de aparelhos para iontoforese. Medicações via oral podem interferir com o funcionamento de outros órgãos e seu uso exige cuidados específicos. Muitas vezes o apoio psicológico pode ajudar bastante, podendo ser necessário o uso de tranqüilizantes nos quadros graves. A toxina botulínica surge como uma boa opção terapêutica, interrompendo a sudorese na área tratada. Casos graves de hiperidrose axilar podem ser tratados cirurgicamente, com a retirada das glândulas sudoríparas ou através da simpatectomia que é uma cirurgia onde os nervos responsáveis pelo estímulo à sudorese são cortados.

Como é feito o tratamento da hiperidrose com a toxina botulínica?
Além do conhecido uso da toxina botulínica no tratamento de rugas para rejuvenescimento, também oferece uma excelente opção de tratamento para os pacientes que apresentam quadro de hiperidrose. Na hiperidrose axilar, a toxina botulínica é aplicada através de injeções subcutâneas nas axilas, com intervalos de cerca de 1,5-2,0cm entre cada aplicação, na área onde a sudorese é mais intensa. O efeito máximo ocorre em cerca de 2 semanas e o tratamento apresenta boa eficácia, com interrupção da sudorese na área tratada. O mesmo procedimento pode ser feito para regiões como palmas, plantas, virilha e outras. Geralmente utiliza-se anestesia tópica (em creme) e/ou anestesia local (bloqueio anestésico).

Por quanto tempo a região permanece tratada?
A duração do efeito pode ser de 4 meses a 6 meses, podendo chegar até a 8 meses dependendo das características individuais de cada paciente. Para manter um bom resultado, é necessário reaplicar a toxina.

Dra. Érica Monteiro

Dermatologista

www.dermatologia.com.br

tel: 11-50441064